29 julho 2006

Ponto do ponto

...
A gente trabalha o ano inteiro
Por um momento de sonho
pra fazer a fantasia
de rei ou de pirata
ou jardinera
E tudo se acabar na quarta-feira
Tristeza não tem fim
Felicidade sim.

O carnaval seria...
Mas o dia-a-dia é.

Um dia que poderia
Mas não é permitido.

Sombra de sonho
sem liberdade.

Tudo tem ponto
porque é nosso desejo.

Sou louco ao ponto
de querer o descanso.

Não sei onde me leva o conto
porque tudo termina num ponto.

Do ponto tudo é Literatura

3 comentários:

Cotrimus disse...

Vírgulas são interessantes...reticências também!
Tem tempo, que acho que não há espaço para "?", porque a vida se mostra um grande "!".
meu abraço.

Anônimo disse...

Voilá! C'est un bon blog; il n'est pas sans intérêt...
Mes félicitations,
Valdur Papier Maché

Rafa'sig disse...

Eu li!
Bj