19 agosto 2007

Gigi

Entre Baudelaire, Verlanie e Mallarmé
Símbolo que só se encontra na pureza inalcançável das essências
Entre os sentidos, atrelo-me às tuas primazias através dos olhos
Vejo-te entre tantos, encontro-te no nebuloso tumulto das cidades
O formigueiro de gente, de gentes, só te encontro porque és a materialização
do perfume eterno do prazer, do ser...
É no azul, cinza, verde dos olhos que gracejas entre aquelas que se dizem belas
Mas beleza é um estado de espírito perceptível somente pelo encontro entre almas
Não uma linha perfeita desenhada no corpo feminino
Do corpo, mera existência física, o tempo se nutre, até em nada construí-lo
E é neste instante que seu afago se insinua, sensual, sem materialidade,
mesmo em vida, mesmo sem o tempo ter-te chegado a tocar, pois és senhora do tempo, vem antes dele.
Nada de platonismo, nada de essência, nada de idealização:
Humanidade rara é sinônimo de estranhamento,
portanto que sejas diferente, que sejas tu a artífice do novo existir entre a harmonia...

(...)

Lembre-se: Vinícius é um estado de espírito
capaz de ser incorporado, não muitas vezes, mas nos dias exatos.
Poesia é um nome, Vinícius sua essência.
Que assim se viva.

4 comentários:

Mariana disse...

E da alma fez-se o sopro, sopro de menina.. sopro de mulher..
E da face fez-se o assombro, alma de menina corpo de mulher...
E palavras não mais serviam pra descrever o que se passou. Tornava-se limitada a vida de quem se foi. Apelos, dores, desapegos, prantos e nuvens se desfaziam enquando um sorriso florescia ao horizonte. Quem é portador de tal alegria, daquela que ilumina a aurora doce das manhãs de inverso?! Não importa qual sua identidade, importa sim a simplicidade com que fui acolhida em seu olhar!
Esferas doces da eternidade, guardem sempre a bondade, que será sempre minha metade dessa vida sem rumos opostos.

Gi disse...

só vc, fredim...Já falei q amei, né? =)
bejins...

Gi disse...

atualiza o blog! =)

Juliana Veiga disse...

bonito!

Bjinhos