16 agosto 2011

Criança

Quadro
Giz
Carteiras
Provas uniformes
Testes
Recuperação
Profeessor
Aluno

Onde está a poesia?

No espaço entre eles
Jogada às traças
Sombra de voz
Surdez de cego
Mudez de criança natimorta

Poesia está na coisa
Resiste quando não se pensa
Poesia é coisa
Coisa de menino no banco de areia
Graveto e desisteresse
Menino que sonha
Tem medo
Foge
Fecha os olhos
Mas continua ali
No sono
Vidrado
Paralisado
Vivo.

Poesia é coisa de sonho de menino que não dorme.

Criança virou menino
Mas não deixou de ser o que era
Ganhou bigodinho
Ideias diferentes
Pensamento independente
Mas ainda vê o que não pode ser.

Menino, sempre menino.

Poesia: sempre coisa de criança.

Criança que morreu de uniforme.

3 comentários:

Raíssa Christini disse...

E já dizia Mário Quintana: nunca se deve tirar o brinquedo de uma criança, tenha ela oito ou oitenta anos.

Anônimo disse...

está meio empoeirado isto aqui...

Yan disse...

"Poesia é coisa de sonho de menino que não dorme.

Criança virou menino
Mas não deixou de ser o que era
Ganhou bigodinho
Ideias diferentes
Pensamento independente
Mas ainda vê o que não pode ser.

Menino, sempre menino"

Adorei, muito bonito e catartico. Como sempre maravilhoso. Sonho de um sonhador.