12 setembro 2010

Crônica matutina

Acordou
Arrumou a cama
Fez o café
Ouviu o telefone
Atendeu
Recebeu um soco
Um chute
Uma marretada
Cortaram-lhe os pés
Furaram-lhe as mãos
Abriram-lhe o peito
Deixaram as tripas
e o sangue escorrer

Não gritou
Apenas lembrou o fantasma.

3 comentários:

Yan Duffs disse...

Muito bom o poema Fred, pra variar né ? Pô, achei que tinha abandoinado o blog, hehehe .. quando tiver um tempo dá uma olhada lá no meu, tem varios "novos" lá .. abração meste .

Yan Duffs disse...

Fred, desculpa pelo comentário idiota e insensível acima, não tinha entendido o sentido real do poema. Cara, queria ter te falado isso hoje de manhã, mas pra variar não soube me expressar oralmente e vou tentar pela escrita, sei que sou apenas mais um aluno mas sou um aluno que te admira demais,já te disse isso, como professor, poeta e pessoa. Gostaria que você soubesse que se precisar de qualquer coisa estou aqui, e sei que é difícil falar isso, além de parecer um clichê, mas você tem que ter força! Ele vai precisa de você com as tripas e o sangue não escorridos, vai precisar de você firme e forte ao lado dele. Pô cara, é isso, se precisar de qualquer coisa sabe que você tem um aluno/fã, futuro colega de trabalho (se Deus quiser) e quem sabe um dia amigo de verdade, ao seu lado, disposto a ajudar no que for possível. Estarei torcendo para que aconteça o que for melhor para ele. Abraços parceiro, força.

Giovanna Bhering disse...

Muita força, Fred!